Poiésis - Literatura, Pensamento & Arte - nº 94 - janeiro de 2004


IMPRESSÕES LITERÁRIAS

Camilo Mota
idealizador e editor de Poiésis, reside em Saquarema-RJ (poiesis@novasaquarema.com.br).

 

Guia Bahá’í

Este colunista está coordenando na Internet um guia dedicado a prestar informações sobre a Fé Bahá’í (www.sobresites.com.br/bahai), sistema religioso fundado em 1844 na Pérsia, atual Irã, e que professa a unidade do gênero humano e a paz mundial. No guia, os visitantes têm acesso a diversos links divididos por tema, além de resenhas sobre os principais livros de Bahá'u'lláh, disponíveis em língua portuguesa. O espaço foi cedido pelo portal Sobre Sites, que apresenta dezenas de outros guias sobre os mais diversos assuntos, como literatura, poesia, artes plásticas, música, wicca, saúde, utilidade pública, cada um coordenado por um especialista em sua área.

Os contos do oximoro Antonio Miranda

O professor Antonio Miranda, membro vitalício da Academia de Letras do Distrito Federal, no prefácio a seu livro “Perversos” (Brasília, Thesaurus, 2003) se autodefine como um oximoro, uma figura de linguagem que se caracteriza pela convivência dos contrários. Se assim o é nos versos, o mesmo também sobressai em sua estréia na ficção: A senhora diretora e outros contos (Brasília, Thesaurus, 2003). Logo nas três primeiras histórias, o autor faz da relação marcuseana entre Eros e Tanathos uma constante nas narrativas. Assim, “Caiu de boca”, “A senhora diretora” e “Na berlinda” mostram seus personagens enredados pelo monstro terrificante da burocracia (Tanathos), mas ao mesmo tempo a saída para o conflito é apresentada pela sexualidade (Eros), tratada aqui em toda sua variante, seja pelo lado libertador, seja pelo lado destruidor.

O autor também passeia pela angústia humana, como no conto “Diário e desvario”, em que deixa um pouco de lado a narrativa mais linear, para soltar as amarras da consciência (ou da falta dela) do personagem Afonso. E brinca com o leitor em “O enterro do cachorro”, onde uma história é contada com requintes de humanismo (e com um certo rancor pela raça humana, em certo sentido), e no final deixa ao leitor o sarcasmo do narrador ao revelar o caráter ilusório de toda obra de ficção. E esse paroxismo é o que também aparece em “O poeta no espelho”, em que a narrativa se transforma numa resenha literária, e esta se volta sobre si mesma tornando-se novamente ficção.

Se na poesia, Antonio Miranda vem se destacando há anos, conquistando admiradores e inimigos, o mesmo certamente ocorrerá na ficção. Esperamos que mais admiradores, é verdade, pois este A senhora diretora mostra que o autor tem muito ainda em sua bagagem para compartilhar conosco.

Para maiores informações sobre este e outros lançamentos da editora, o leitor pode acessar o endereço www.thesaurus.com.br.

Gerson Valle premiado

Gerson Valle, membro do conselho editorial de Poiésis, ganhou o segundo lugar no concurso de poesia “Natale 2003”, na qualidade de “Estrangeiro”, em promoção da revista italiana “Il Convívio”.

Jornal acadêmico

Muito boa iniciativa a de alguns acadêmicos da Universidade Católica de Petrópolis (UCP), que ano passado lançaram o Jornal Libertas. Segundo seus editores, a publicação “preza pela expressão da liberdade de pensamento e será distribuído aos alunos deste planeta”. Esse caráter universalizante é uma bela utopia e poderá se ver concretizado no futuro através do site do grupo (www.jornallibertas.hpg.com.br), onde, por enquanto, os leitores podem encontrar algumas informações gerais sobre a publicação — entre elas, os locais onde o jornal é distribuído gratuitamente.

Novo livro de Fernando Py

“Sentimento da Morte & Poemas Anteriores”, de Fernando Py, editado em Goiânia, é o mais novo lançamento do poeta carioca, radicado em Petrópolis. O volume reúne 14 poemas, sob o título geral “Sentimento da morte”, a maioria até então inédita em livro, além de uma breve antologia com textos de seus livros anteriores, “Aurora de vidro” (1962), “A construção e a crise” (1969), “Vozes do corpo” (1981) e “Sol nenhum” (1998).